quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Dia D da Diálise: Vidas Importam?

A esposa que não fui.
Os filhos que não tive.
A família que não formei. 
A profissional de sucesso que não fui. 
As viagens que nunca fiz. 

Todos os sonhos não realizados e os planos não concretizados...

A realidade do paciente renal é assustadora, ele precisa abrir mão de muita coisa por causa da sua patologia. Mas o principal, aquele direito que todos deveríamos ter e que está previsto em lei e a que todo ser humano tem, o direito à vida. O paciente renal não vive, ele apenas sobrevive. 

Eu sonho com o dia em que hospitais serão obrigados por lei, que tenham no mínimo uma máquina de hemodiálise e um tratamento de qualidade para que nenhum renal tenha que se deslocar de sua cidade para fazer o tratamento. Em alguns casos durante todo o dia. Pacientes que já tem tantas limitações e que são obrigados a viajar em carros do estado lotados e sem conforto algum.

Sonho com o dia em que todas as clínicas de hemodiálise serão obrigadas (de verdade!) a cumprirem o padrão de qualidade exigido por lei e o paciente tenha um atendimento com mais humanidade, respeito e leveza já que o tratamento em si já é pesado demais. Para o paciente e sua família...

O dia em que as pessoas se colocarão no lugar do outro... 

Eu temo pelo futuro dos renais do Brasil. Sem investimentos, muitas clínicas estão fechando as portas. Nós não temos para onde ir. Sem o pagamento que o SUS deveria fazer todo mês, muitas clínicas estão prestando um serviço precário. Sem esse investimento, os funcionários ficam sem receber e não tem motivação para o trabalho. Todos trabalhando no limite. Em algumas clínicas pacientes estão fazendo menos tempo de tratamento, o que com certeza pode levar a morte, já anunciada. Pessoas estão morrendo em filas, antes mesmo de iniciar o tratamento por falta de vagas.

Lutamos por medicamentos que poderiam nos dar um mínimo de qualidade de vida, e logo estes são substituídos por medicamentos mais baratos. Alguns pacientes que deveriam estar em uma fila de transplante não estão porque não tem condições de fazer o tratamento fora de domicílio, já que em algumas cidades o transplante é inviável em todos os sentidos. 

Para as empresas, sociedade e governo nós somos apenas mais uma estatística, um número.

Morre um renal, tem mais cinquenta na fila. Se o transplante não der certo o paciente volta para hemodiálise e tá "tudo bem". Contam-se o número de transplantes sem saber exatamente quantos transplantados estão realmente bem. “O importante é tirar o paciente da fila”, uma fila que pode demorar anos e quando o paciente for chamado ele já perdeu toda sua força em um tratamento inadequado e ineficiente. O que não deveria acontecer...

A hemodiálise de qualidade, exigida por lei, pode e deve salvar vidas!!!

O paciente precisa ter essa opção ao transplante. Ele precisa ter um tratamento de qualidade para que tenha mais esta opção segura durante muitos anos, para esperar por um transplante sem ir perdendo um pouco de si a cada dia. E enquanto espera, ele deve ter uma vida digna, sem ter que abrir mão dos seus sonhos e possa fazer planos para o futuro.

Não somos pacientes terminais!

O paciente renal do Brasil só quer uma coisa, não morrer por falta de investimentos em sua vida. Porque saúde, nós não temos mais...

Luciana Sielskis
Renal desde sempre e aproveita os momentos em que está bem, para fazer o que ama!
www.vidarenal.blogspot.com

6 comentários:

Unknown disse...

Falou tuuuudo👏👏👏
Tentei compartilhar no face,mas tbem não deu certo😣

Unknown disse...

Conseguiiii😁😉

Unknown disse...

Uma situação muito delicada a que vivemos hoje!!! Lamentável o que está acontecendo!!! Até quando suportaremos tanto descaso... Como profissional nefrolinefro deixo aqui minha indignação!!!

Anônimo disse...

Bem dito. Submeter ao tratamento hemodialítico durante anos,e, durante esses anos tentar se manter com boas condiçoes psíquicas e físicas para ir realizando as coisas dentro dos nosso limites. As vezes queremos fazer muito mas a realidade nos permite fazer pouco. Mas as poucas conquistas devem ser valorizadas por nós mesmos...um grande abç pra vc colega. Ricardo de BH.

Luciano Tanus disse...

Sempre com belas palavras e o mais importante, palavras certeiras!

cacau disse...

É amiga...td aquilo q sonhei e a doença renal me roubou sem ao menos me dar a chance de tentar. Eu costumava dizer"quero minha vida de volta" e um dia me perguntei:" Q vida?"....veio a resposta...aquela q não tive: as viagens pelo mundo q planejei, os filhos q já tinham até nome nos meus sonhos, a família q não formei e a profissional de sucesso q me esforcei p ser... luto todos os dias p ter um minimo de dignidade e nao é fácil. Meu sonho é q a doença renal tivesse roubado apenas os meus rins.