sábado, 17 de abril de 2010

[.Assunto de quem Sabe.]

Como havia prometido,um bate papo com a Fisioterapeuta Graciela Tutoni formada pela FAT em 2008, com especialização voltada para área hospitalar (fisioterapia cardiorespiratória).

VR - De onde surgiu a idéia de trabalhar com pacientes renais?
Grá -
Antes de me aventurar no trabalho de fisioterapia, eu trabalhava, como técnica de enfermagem em uma clínica de renais crônicos. Ali os pacientes sofriam muito com as fistulas que davam problemas e muitos perdiam fistulas por falta de uma orientação fisioterapêutica. Decidi estudar o problema deles e verifiquei que havia uma esperança de tratamento apropriado para debelar o seu sofrimento. Assim, após muito estudar, consultar livros e mais livros, a web, etc. Resolvi testar meus conhecimentos com alguns pacientes que se dispuseram a testar minha tese e a participar de um grupo de experiência. Como o resultado foi altamente positivo, decidi atuar nessa área com a fisioterapia.

VR - Quais os benefícios da fisioterapia para a fístula do paciente?
Grá - Melhora do pool venoso (veias), com o trabalho de ambos os membros superiores e toda a cadeia muscular. Outro benefício é o auxílio na maturação da fístula e principalmente evita a perda da fístula através de diagnóstico precoce de complicações, como estenose, trombose.

VR - Em quanto tempo é possível ver uma melhora no paciente?
Grá - Depende de cada paciente. Isto porque o paciente vem com problemas de diabete, hipertensão, obesidade, idosos e com aterosclerose. Com esses o tempo para uma melhora é mais demorado, podendo variar de dois a três meses. Com pacientes de saúde regular, o tempo de melhora é muito bom, cerca de um mês e meio. Ressalte-se que o exercício tem que ser contínuo, ou seja, o paciente, após conseguir uma fístula boa, não pode parar com os exercícios, com risco de voltar a estaca zero.

VR - Mas só a fisioterapia resolve? Ou é necessário um acompanhamento na punção e no próprio cuidado do paciente, em casa?
Grá -
Só a fisioterapia resolve, pois a antiga teoria de que a bolinha resolveria, é um mito, pois depois de tanto tempo de observação e prática tenho descoberto que ela é inócua. Quanto ao acompanhamento na punção, é necessário quando a punção é realizada em fístula nova ou quando é uma fístula problemática. Em casa, o paciente deve tomar os cuidados de sempre, evitando pesos excessivos, quedas, pancadas no local, etc. Cuidado especial para o paciente não dormir com o braço por baixo do corpo. Evitar o uso de compressas quentes em caso de infiltrações, usar só compressas geladas. É bom mencionar aqui, que o paciente não deve mudar a sua rotina caseira. A vida deve continuar normalmente.

VR - Tem algum exercício que podemos fazer em casa, que ajuda na melhora da fístula?
Grá -
Sim. Exercícios com pesos de 0,5 a 1 kg. Mas é necessário uma orientação da Fisioterapeuta sobre os exercícios apropriados antes de inicia-los.
Obrigada Grá!

2 comentários:

Anônimo disse...

E dá-lhe malhação nessa fístola cuma!!!! Espero que tenha um bom resultado pra ti... bjim

George disse...

Oi Lu, linkei esta reportagem na comu HH, é muito interessante.
Abraço!