terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

[.um presente.]

Hoje estou poemas!
Pequenas frases vão se
aglomerando.

Da luneta do quarto vejo
a brisa tocando as asas
de uma borboleta, desiludida.
Mas a brisa é tão persuasiva
que mostra a vida, já tão perdida.

Do livro que comprei, resta o embrulho
Por que as palavras já embalei, embolei
Misturei, e me completei em mais uma
cena, um novo ser que acaba de nascer.

Na lampada vejo libélulas,
que vão em busca da luz e acabam
se desfalescendo. Uma morte
cheia de PAZ!

Na esquina posso ver amigos
que se trocam em amor, sorrisos,
carinhos, falas, almas...
Bem alí vejo o sentido de ter
acordado...POEMAs!

.Thâmile.

Nenhum comentário: